Psicologia do Futebol por Juliane Fecchio

Psicologia do Futebol por Juliane Fecchio

Com o desenvolvimento do futebol no Brasil, tanto nas categorias de base onde os futebolistas estão sendo formados como também no futebol profissional, as comissões técnicas começaram a ficar cada vez mais multidisciplinares, buscando integrar fatores físicos, técnicos e táticos e psicológicos.

Objetivam-se, assim, resultados cada vez mais superiores. Compreender o futebol hoje, de uma forma geral, é compreender seus três componentes: o treinamento físico; o treinamento técnico/tático; e o aperfeiçoamento dos mecanismos de regulação psicológica.

O futebol vive um momento em que a necessidade de investimentos nas atitudes dos atletas (psicológica, emocional, social e cultural) é evidente. Observa-se, também, que a pressão psicológica para as equipes profissionais de futebol obterem resultados é cada vez maior. Além disso, jogadores de futebol são diariamente expostos a um elevado número de estressores que interferem no desempenho esportivo. Ter sucesso no futebol implica em conseguir conviver e superar as pressões diárias, incertezas e angústias.

Isso nem sempre é uma tarefa fácil, ou seja, além das questões relacionadas ao próprio rendimento, as intensas demandas físicas e psicológicas em que os jogadores são expostos, e que são exclusivas da carreira esportiva, podem aumentar a susceptibilidade a determinados problemas de saúde e comportamento de risco. Nesse sentido, é importante que o esporte competitivo possa gerar bem-estar psicológico e prazer para o atleta e esse desafio pode se tornar mais complexo quando a modalidade de escolha é a mais popular do mundo e a mais praticada no nosso país.

A Psicologia do Esporte deve ser inserida nesse contexto justamente por ser uma especialidade que contribui para que o atleta possa vivenciar os treinamentos e competições com menos estresse, menos ansiedade e melhor bem-estar. O psicólogo vai prepará-lo psicologicamente de acordo com o calendário de competições, buscando a excelência esportiva, mas sem deixar de olhar para o ser humano.

Pesquisas centradas nas estratégias de preparação psicológica usadas em atletas de maior sucesso, concluíram que um conjunto de habilidades cognitivas e comportamentais estão correlacionadas com a obtenção do desempenho excelente: o estabelecimento de metas, a imaginação, planos de competição, habilidades de coping, estratégias de controle de pensamento, interpretações facilitadoras de ansiedade e controle da atenção. Além disso, estudos comparando atletas de elite e não elite encontraram que os atletas de maior sucesso estão mais comprometidos com seu esporte, apresentam uma forte orientação para os seus objetivos, são mais concentrados, têm níveis mais elevados de confiança, melhor capacidade de conduzir suas metas e níveis de ansiedade mais estáveis. Portanto, é fundamental que o jogador de futebol desenvolva determinadas habilidades psicológicas para que tenha sucesso esportivo.

Nesta perspectiva, cada vez mais, profissionais do esporte concordam que a preparação psicológica pode fazer a diferença entre um bom e um mau resultado, principalmente para atletas de alto rendimento, quando as habilidades físicas, técnicas e táticas praticamente se igualam.

Por Juliane Fechio @julianefechio.psico

Psicóloga da equipe profissional do Santos FC @santosfc

Doutora em Psicologia UNIFESP

Graduada em Psicologia e Educação Física

Veja mais em https://www.futebolinterativo.com.br/blog